06 novembro 2006

"Vacilona"

como não te desculpo
você se diz chateada
comigo e não consigo,
(mas devia)
querida,
não te desculpo
porque você não me ofendeu,
mas faltou o respeito com você mesma
continuo seu amigo,
apesar do que há
não obrigo, não desculpo,
quero paz
parece-me, como já disse,
que é você que não percebe
o que é evidente:
faça o que quiser,
o que sente,
pois quem não finge, não mente,
entende?
eu te respeito, você não.

então não fique assim comigo
a poesia vai te consolar,
ouça o que te digo,
beijos,
do ainda amigo

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home