24 novembro 2006

"Jogador"


Sou um jogador
jogo até ficar cansado
as vezes sou vencedor
as vezes saio derrotado
só não largo meu amor
pra evitar o mal ditado

e se um dia não venço,
ainda não joguei tudo
(é assim que eu penso
e assim que me iludo)

Atrás de panos verdes
já rodei o mundo inteiro
e das mesas dos cassinos
já tirei o meu dinheiro

sou bem vindo e respeitado
por ricos e por mendigos
mesas de sinuca e carteado
diversos naipes de amigos

Pode a sorte não ser fiel,
mas é boa companheira:
um pouco como a carioca,
um pouco como a mineira


de mim, não sei se ela gosta
dizem que nao gosta de ninguem
mas se ganho alguma aposta,
sei que ela me quer bem.

confio na estatística do destino,
jogo sempre desde menino,
faço aposta em qualquer lugar
eperando antes da morte,
me tornar amigo da sorte
sem ser inimigo do azar

3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

3º verso de baixo pra cima "eperando" ou esperando?

1/31/2007 6:53 PM  
Anonymous juan otoya said...

ok ok digitei errado, como em vários versos:

o certo é ESPERANDO!

2/07/2007 5:24 PM  
Anonymous sidney said...

porra cara muito foda esses versos!

8/19/2010 1:35 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home