07 novembro 2006

"Jardim de Rosas"

Vi botões de um jardim
machucarem-se em espinhos
aguardando a primavera
chorando em seus caminhos
o orvalho da espera
no inverno sem carinho

cativo,
cultivei-as

hoje meu jardim de rosas,
floresce em duas cores:
brancas e formosas
coradas de pudores

as rubras,
dos febris amores
falaram-me ao coração
dispersando seus odores
de uma tarde de paixão

as brancas,
pálidas de tão puras
alvejaram meu olhar
e tal límpidas alvuras
fizeram-me cegar

desperto-as com meu afã
de admirá-las mais um dia
e minhas vadias manhãs
são floridas de alegria

com a graça de meninas
estendem seus copos nus
levíssimas bailarinas
bailando em busca de luz

e com sede dançam
nas tardes tropicais
saciando-se, balançam
sob notas pluviais

no silêncio das madrugadas
cansadas de meu olhar
suas sombras perfumadas
pairam leve pelo ar
e bocejam já cansadas
sob a prata do luar

deixando minhas amadas
ligeiro vou me deitar
até que os ninhos cantem
aqui no Rio de Janeiro
e todos se levantem
cada qual pra seu canteiro

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home