14 março 2012

dia nacional da poesia

oculta pela tinta fresca do muro
empoeirada no ostracismo da prateleira
mastigada com a rotina insossa
amassada pela condução lotada
omitida pela pressa passageira
extraviada em descarte postal
a beleza da poesia permanece

imune ao crepúsculo das mentes vãs
invulnerável às vaidades tolas da fama
incansável no combate às cretinas disparidades
projetando indeléveis imaginários oníricos
libertando da fadiga e do fastio
a beleza da poesia permanece

no relato desvairado do lunático sonhador
no mal redigido soneto para um amor sincero
no combate permanente dos homens justos
no retrato opressivo de uma era errante
a beleza poesia permanece

-- Juan Otoya

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home