02 fevereiro 2011

"Dois de Fevereiro"

Sobre a pedra polida do Arpoador
o pescador agradece entoando um canto
deixa palmas como oferenda singela
fita o mar prateado: espraiado manto

banha-se sem pressa nas marolas
filtra o corpo nas brumas salgadas
expurga na espuma as desventuras
(se vê no espelho com força sagrada)

emerge solene o marujo
tendo afundado as mágoas
tem em si a maior proteção:
o início do ciclo das águas

navega sereno seu barco
celebra igual todo ano
festeja, canta, agradece:
"Salve, rainha do oceano!"

--Juan Otoya

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home